terça-feira, 20 de agosto de 2013

Ministro da Saúde faz entrega de carreta contra câncer de mama em Tocantins

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, veio ao Tocantins, nesta sexta-feira (16), para entregar a carreta "Saúde Cidadã, Saúde da Mulher", a segunda que vai funcionar no estado. A unidade móvel vai percorrer os municípios do norte tocantinense realizando exames de mamografia, ultrassonografia e exame preventivo do colo do útero. A solenidade de entrega aconteceu na Câmara Municipal de Araguatins, o primeiro município da região a receber a unidade. O governador Siqueira Campos e a Secretária de Saúde do Estado, Vanda Paiva, também estiveram presentes na cerimônia.

A unidade ficará no município por três semanas. No dia 6 de setembro, a carreta segue para Angico. O contrato com a empresa que fornece o serviço tem duração de um ano. Durante este período as mulheres dos 64 municípios da região do Bico do Papagaio vão receber o atendimento.

Em seu discurso, o ministro da Saúde destacou os benefícios da carreta e o alto índice de mortalidade provocado pelo câncer. "O câncer de colo do útero é a principal causa da morte das mulheres dos estados da Amazônia. A unidade vai levar saúde para mais perto delas. A população vai se sentir dentro de uma clínica privada", disse Padilha referindo-se à qualidade dos serviços oferecidos na unidade móvel.

Apesar de ter ido a Araguatins especificamente para entregar a carreta, o foco do discurso do ministro foi outro: o programa Mais Médicos do governo federal. "Eu e a presidente Dilma sabíamos que iríamos enfrentar resistência", disse, quando iniciou uma sequência de falas a respeito do programa, que tem sido debatido no Brasil e criticado pelos médicos brasileiros.

Padilha comparou a quantidade de médicos existentes no Brasil com os de outros países da América Latina: "No Brasil há 1,8 médicos para atender 1000 pacientes, no Uruguai, há 3,7. Temos poucos médicos no Brasil e os que nós temos são mal distribuídos". O ministro ainda disse que os estados da Amazônia Legal, que inclui o Tocantins, são prioridades no programa.

Sobre a resistência dos médicos brasileiros em aceitarem a vinda de médicos estrangeiros, Padilha leu uma frase estampada em uma camiseta que ele recebeu da associação dos municípios da região do Bico do Papagaio: "Não interessa de onde vem, eu quero médico ao lado do povo."

Ao fim do discurso, Padilha prometeu o que as autoridades e a população de Araguatins cobraram dele: uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para o município. E para isso assinou uma liberação de uma verba de R$ 2 milhões.

O governador Siqueira Campos destacou os gastos do estado com a saúde. Segundo ele, ano passado foram aplicados R$ 674 milhões no sist

ema de saúde, sendo que R$ 408 milhões foram gastos com folha de pagamento. "O salário dos médicos no estado é um dos mais altos do Brasil. Só peço para os profissionais atenderem o máximo de pessoas. Pelo amor de Deus cuidem dos pobres", disse.

Já Vanda Paiva prometeu a reforma e ampliação dos hospitais de Araguaína, Gurupi, Augustinópolis e do Hospital Geral de Palmas.

O final da solenidade foi marcada pela inauguração da carreta. Ainda nesta sexta-feira, estavam previstos o atendimento de 15 mulheres. Esta é a segunda unidade. A primeira foi entregue no mês de maio e está percorrendo a região central do estado.


Fonte: Portal G1

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes