terça-feira, 20 de agosto de 2013

Fórum discute formas de prevenção da mortalidade materna

A Coordenação Estadual de Saúde da Criança, da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Pará (Sespa), realizou nesta segunda-feira, 19, mais uma edição do Fórum Perinatal, em foram debatidos temas relacionados à assistência materno-infantil, com ênfase na importância da vinculação das gestantes à maternidade. Conduzido pela médica e pediatra Ana Cristina Guzzo, coordenadora estadual de Saúde da Criança, o evento tem sido realizado com regularidade pela Sespa. Só em 2012 foram quatro edições.

A segunda edição deste ano reuniu, no auditório da Procuradoria Geral do Estado (PGE), cerca de 30 profissionais de saúde de instituições públicas e privadas, além de acadêmicos, com a intenção de compartilhar metas pautadas com o objetivo de fortalecer a Política de Atenção Integral a Saúde da Mulher e Criança, levando-se em conta as etapas da Rede Cegonha no Pará, programa criado pelo governo federal com o intuito de assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério e, às crianças, o direito ao nascimento seguro, crescimento e desenvolvimento saudável.

Ana Guzzo considera importante que em todas as edições do Fórum sejam reforçadas algumas orientações, sobretudo as que dizem respeito à humanização e atendimento às gestantes; às conquistas e demandas da rede, informes sobre o fluxo dos atendimentos para as crianças, situação da população prisional da unidade feminina e relatos de experiências de parto humanizado.

Para ela, as realizações do Fórum são essenciais para que os profissionais que lidam com atendimento a gestantes se conheçam e troquem informações sobre o que está, de fato, acontecendo nos hospitais e como lidar com as mais diversas situações que chegam aos consultórios. Pelos propósitos do Fórum, não há outra solução para diminuir a mortalidade materna que não seja a realização adequada do pré-natal a fim de amenizar as estatísticas de complicações gestacionais”, afirmou.

Apesar da hipertensão ser historicamente a vilã das gestantes nos últimos seis anos no estado, a doença não foi a maior causadora de mortes de grávidas no Pará em 2012. Dados da Coordenação Estadual da Saúde da Mulher indicam que 70 óbitos maternos são registrados, em média, todo ano no estado. De 2007 até o momento, cerca de 30% dos 252 casos de mortalidade materna estiveram associados a ocorrências de pressão alta. Outros 9% das mortes ocorreram por hemorragia, 5% por infecções pós-parto, 4% por problemas com a circulação sanguínea e 2,6% por situações relacionadas ao aborto.

Ainda este ano, a organização do evento deve realizar mais edições do Fórum Perinatal. A Coordenação Estadual de Saúde da Criança espera que todos os profissionais que atuam nas maternidades das instituições de saúde públicas e particulares estejam empenhados em participar das discussões. O Fórum Perinatal será realizado regularmente mediante articulação da Coordenação Estadual de Saúde da Criança, localizada no Nível Central da Sespa, rua Presidente Pernambuco nº 489, entre Conselheiro Furtado e Gentil Bittencourt.


Fonte: Agência Pará

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes