terça-feira, 20 de agosto de 2013

Festival de filmes sobre deficiência chega à 6ª edição

O cinema é muito mais do que uma paixão mundial para a produtora Lara Pozzobom, ela defende que “o amor pelos filmes dá inspiração e provoca mudanças na vida das pessoas”. E é por acreditar neste poder que, há dez anos atrás, Lara idealizou o Festival Assim Vivemos, um projeto que possibilita às pessoas conhecerem histórias emocionantes, inspiradoras e altamente transformadoras.

O Assim Vivemos está chegando à sua 6ª edição e a novidade é que este ano o número de inscrições de filmes brasileiros aumentou, portanto 2013 conta com uma ótima safra de exibições nacionais. A partir de quarta-feira, 21, o público poderá assistir 26 filmes sobre deficiência, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB - de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Lara e seu marido, o cineasta Gustavo Accioli, há quartorze anos realizaram o curta-metragem “Cão Guia”, uma história de amor entre um rapaz e uma moça com deficiência visual. O filme foi selecionado para o festival Wie Wier Leben (“Como nós vivemos”), em Munique, Alemanha, onde eles se apaixonaram pelos personagens reais, pela alegria e vivacidade deles. “Imediatamente passamos a nutrir o desejo de realizar no Brasil um evento nos mesmos moldes”, explica Lara. Assim, em 2003, ocorreu a primeira edição do festival.

Um dos aspectos centrais da iniciativa é o trabalho de informação, transformação e conscientização social, ao romper preconceitos e abrir novos horizontes. O mineiro Paulo Renato Zeiner, que já assistiu outras edições do festival, surpreendeu-se com a qualidade dos filmes exibidos e com a potencialidade das pessoas com deficiência: “Não imaginava que seriam filmes tão interessantes. Quero ir novamente este ano. São temas que não vemos em novelas, na televisão e no circuito comercial. Aos poucos, a nossa cabeça vai se abrindo para novas ideias. Hoje sei muito mais sobre a pessoa com deficiência”, avalia.

O Assim Vivemos oferece acessibilidade para pessoas com deficiência visual (audiodescrição em todas as sessões e catálogos em Braille) e para pessoas com deficiência auditiva (legendas Closed Caption nos filmes e interpretação em LIBRAS nos debates). Quanto à acessibilidade física, o festival é realizado no CCBB que é acessível para pessoas com deficiência.

O festival fica em cartaz até o dia 01 de setembro. Para mais informações, programação e sinopses de filmes, acesse o site do projeto.


Fonte: Yahoo! Notícias

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes