domingo, 3 de setembro de 2017

Essa era a terrível forma da Inquisição punir as mulheres suspeitas de bruxaria


Em muitos locais do mundo as mulheres possuem os mesmos direitos que os homens. Elas podem votar nas eleições, ter a própria propriedade e seus empregos, entre muitos outros direitos que conhecemos.

Mas tudo nem foi sempre assim: na antiguidade as mulheres quase não tinham direitos. E na Idade Média, o grande pavor da sociedade era a Inquisição e as acusações de bruxaria.

As pessoas que eram acusadas sofriam dias e noites com formas cada vez mais aprimoradas de tortura, sendo principalmente as mulheres as condenadas por “práticas mágicas”.

Essa era a terrível forma da Inquisição punir as mulheres suspeitas de bruxaria:



1 – Cadeira para banho


Um dos instrumentos mais comuns de tortura era a cadeira para banho das bruxas. A suposta bruxa era amarrada a uma cadeira, que era então rebaixada ao nível do rio.

O projeto consistia em uma viga de madeira com apoio para abaixar ou levantar a mulher da água, proporcionando várias sessões de afogamento.


2 – “Cegonha”


Este é um instrumento bastante simples de tortura. O dispositivo, que imobilizava completamente a vítima, era capaz de dobrar as pernas puxando-as dos joelhos até o peito. Assim, o corpo tornava-se rapidamente dormente, prejudicando a região lombar e comprometendo os movimentos do corpo inteiro. Muitas vezes as vítimas enlouqueciam antes de morrerem.


3 – A cadeira da Inquisição


Essa invenção macabra consistia em colocar a suspeita de bruxaria sentada em pinos afiados, sendo torturada em paralelo com ferro ou água fervente.

Segundo manuscritos da época, nenhuma das mulheres submetidas a essa tortura conseguiu sobreviver.



4 – Tortura por afogamento e dor


A Inquisição também praticava uma maneira simples para fazer a suposta bruxa confessar seus crimes: eles colocavam um funil em sua boca com bastante água quente, ou mesmo em sua vagina ou ânus.

A vítima experimentava uma sensação de dor extrema e intenso sofrimento e morria rapidamente.


5 – Rasgando-a por completo


Se ainda assim a acusada não se declarasse bruxa, esse instrumento era inserido nas partes íntimas da vítima e abertos – como pétalas – até começar a rasgá-la por completo.

Assustador, não?


Fonte: Portal Mistérios do Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes