domingo, 3 de setembro de 2017

Campanha Setembro Verde conscientiza sobre a importância da doação de órgãos no Pará

Doação de órgãos ajuda a salvar vidas


A Central de Transplante de Órgãos da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) inicia, neste sábado (2), em Belém, suas atividades da campanha “Setembro de Verde”, que estimula a doação de órgãos. Segundo o órgão, em 2016, foram realizados no Pará 195 transplantes de córnea e 57 transplantes de rim. Até julho deste ano, a fila de espera no Estado era de 1047 pessoas para a córnea e 542 para o rim. O desafio de mudar esse cenário será o mote da abertura da campanha, que acontecerá simultaneamente com a realização do II Simpósio de Doação de Órgãos.

O simpósio acontece neste sábado, de 8h às 18h. Com foco na população acadêmica, o evento tem o objetivo de divulgar informações e ajudar a elevar os resultados da doação e transplantes de órgãos e tecidos no Estado do Pará. A coordenadora da Central de Transplantes da Sespa, Ana Beltrão, destaca que a campanha reforça a importância do gesto de doação com mais informações que possam convencer a sociedade em favor da solidariedade.

Segundo Ana Beltrão, a doação só poderá ocorrer se houver autorização da família. Daí a importância do potencial doador, ainda em vida, manifestar esse interesse entre os mais próximos de sua convivência e esclarecê-los sobre o desejo de se tornar doador após a morte. “Para se tornar um doador de órgãos basta avisar a família, elemento que ainda tem se tornado o principal motivo para a não doação por vários motivos, seja pela desinformação ou por motivos religiosos”, diz.

De acordo com a Sespa, no Pará são realizados os transplantes de rim e córnea nos hospitais Ophir Loyola (córnea e rim), Saúde da Mulher (somente rim, porém já credenciado o de medula óssea para convênios e particulares), Betina Ferro (córnea pelo SUS), Clínica Cinthia Charone (córnea), além de algumas clínicas privadas credenciadas para transplante de córnea. Em Santarém, por meio do Sistema Único de Saúde e da rede privada, realiza-se a captação de córneas e rins para transplantes. Também já está credenciado o transplante renal no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), que durante este ano já realizou seis transplantes de rins.

A captação ocorre principalmente em Belém e Santarém, em locais onde é possível fazer os procedimentos legais necessários, principalmente no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (90% dos casos). Outros hospitais necessitam criar condições para captação de múltiplos órgãos, como por exemplo, fazer o diagnóstico de morte encefálica conforme a Resolução 1480/1997 do Conselho Federal de Medicina (CFM), explica a Sespa.

A instituição também esclarece que, no Pará, a Central de Transplantes é responsável por coordenar os processos de doação, captação e transplantes de órgãos e tecidos, cadastrar equipes, hospitais e clínicas para realização de transplantes, monitorar e supervisionar o Sistema de Lista de Espera de acordo com Legislação Federal. Todo o processo de registros e informações das doações e transplantes ocorre on-line com o Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde.


Iluminação verde

A Associação Brasileira de Transplante de Órgãos está inscentivando instituições públicas e privadas a iluminarem prédios e monumentos com a cor verde, símbolo desse tipo de doação em todo o mundo. A iniciativa, que partiu da associação, faz parte dos eventos do Dia Nacional de Doação de Órgãos, comemorado em 27 de setembro.

Serviço: A Central de Transplantes atende pelos telefones (91) 98115-2941 e 3223-8168 e pelo cncdo.transplantes@gmail.com. O II Simpósio de Doação de Órgãos acontece neste sábado (2), de 8h às 18h, no campus BR da Universidade da Amazônia (Unama).


Fonte: Portal G1

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes