segunda-feira, 8 de maio de 2017

Brasil responde por quase metade das crianças da América Latina e Caribe beneficiadas por alimentação escolar

Foto: Boris Heger (PMA)
Crianças recebem alimentação em escola na Bolívia


Representantes de governos, da ONU, do setor privado e da academia reuniram-se na Cidade do México, em abril, para o VIII Seminário de Alimentação Escolar para a América Latina e o Caribe. Na região, 85 milhões de crianças recebem refeições diariamente em centros de ensino. Apenas no Brasil, 41,5 milhões de estudantes da rede pública são beneficiados por iniciativas de alimentação escolar, segundo dados de 2015 coletados pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Em participação num painel sobre as legislações que regulam inciativas de alimentação escolar, a especialista do Centro de Excelência contra a Fome, Christiani Buani, defendeu que marcos legais “criam mecanismos para assegurar que os orçamentos nacionais aloquem recursos para as políticas”. O fornecimento de comida nas escolas da região só é possível por conta de investimentos estimados em 4,3 bilhões de dólares, vindos sobretudo dos Estados.

Com o tema “Os programas de alimentação escolar e suas contribuições para a erradicação da má nutrição em meninos e meninas da região: rumo ao cumprimento da Agenda 2030”, o seminário abordou boas práticas e desafios na promoção da nutrição em ambientes de aprendizagem.

Miguel Barreto, diretor regional do Programa Mundial de Alimentos (PMA), lembrou que atualmente a má nutrição não envolve apenas o consumo reduzido de nutrientes, mas também a ingestão de alimentos pouco saudáveis que levam ao sobrepeso.

“É uma nova era para os programas de alimentação escolar na América Latina e no Caribe”, afirmou. “Num contexto em que a obesidade e o sobrepeso estão entre os problemas de saúde mais urgentes da região, juntamente com deficiências persistentes de micronutrientes, os programas de alimentação escolar são a plataforma ideal e uma oportunidade única para melhorar a nutrição.”


A ONU e a alimentação escolar

Em 2016, o PMA forneceu refeições nutritivas para mais de 16 milhões de crianças em colégios de 57 países, incluindo 2,3 milhões em sete países da América Latina e do Caribe. Em todos os casos, a agência da ONU trabalhou para complementar e apoiar programas nacionais de alimentação escolar.

O organismo internacional lançou recentemente um levantamento sobre programas de alimentação escolar em 16 nações latino-americanas e caribenhas, incluindo o Brasil. Análise avaliar como as iniciativas podem ajudar Estados-membros a erradicar a fome até 2030, tal como previsto pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS). Acesse a pesquisa clicando aqui (em espanhol).


Fonte: Portal da ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes