quarta-feira, 1 de março de 2017

Quase 1,4 milhão de crianças podem morrer de fome neste ano em 4 países, alerta UNICEF

Foto: Esiebo (UNICEF)
Criança de 11 meses tem seu braço medido em um centro de saúde no campo de deslocados de Banki, no estado de Borno, nordeste da Nigéria


O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou um alerta nessa semana: 1,4 milhão de crianças correm o risco de morrer de fome em quatro países: Iêmen, Nigéria, Somália e Sudão do Sul.

O diretor-executivo da agência da ONU declarou que o “tempo está acabando” para essas crianças. Anthony Lake disse ser possível salvar essas vidas, mas para isso é preciso ação rápida.

Lake espera que a tragédia da fome que afetou o Chifre da África em 2011 não se repita. No Sudão do Sul, por exemplo, são 270 mil crianças com desnutrição severa. Milhões de adultos sul-sudaneses não tem o suficiente para comer. Nesse mês, a ONU declarou ‘Estado de fome’ no país.

De Roma, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, falou com a ONU News sobre o país.

“A situação no Sudão do Sul não está ruim agora, ela já vem se deteriorando há um bom tempo. Temos 5 milhões de pessoas na situação de insegurança alimentar severa. Este é o último passo antes de chegar à situação de fome aberta, onde as pessoas começam a morrer de fome diariamente. Temos 2% da população morrendo de fome.”

Já no nordeste da Nigéria, 450 mil crianças vão sofrer com a desnutrição severa neste ano, com várias áreas do país em conflito e uma crescente insegurança alimentar.

Na Somália, o UNICEF explica que o problema da seca é tão grave que quase metade da população não tem comida suficiente – um total de 6,2 milhões de pessoas. A desnutrição severa deve afetar 270 mil crianças nos próximos meses.

Outro país em conflito, o Iêmen, viu o total de crianças nesta condição subir 200% desde 2014: atualmente, 462 mil menores iemenitas estão desnutridos.

Neste ano, a agência trabalha para fornecer tratamento para 940 mil crianças com desnutrição grave no Sudão do Sul, na Somália, na Nigéria e no Iêmen.


Sem esforço extra, acabar com a fome até 2030 pode não ser possível

A habilidade do ser humano se alimentar no futuro está em risco devido ao aumento das pressões sobre os recursos naturais. Esta é uma das conclusões de um relatório publicado pela FAO nessa quarta-feira (22).

Apesar dos progressos nos últimos 30 anos para reduzir a fome global, a natureza tem pago o preço da expansão da produção alimentar. Segundo o documento ‘O Futuro da Alimentação e da Agricultura’, quase metade das florestas que cobriam a Terra desapareceram e as fontes de água estão se esgotando com rapidez.

A FAO destaca que, sem maiores esforços, a meta de acabar com a fome até 2030 pode não ser cumprida. É possível que o planeta tenha 10 bilhões de habitantes até 2050 e com isso, a demanda global por produtos agrícolas subirá 50%. Outros desafios são conflitos, desastres naturais, aumento da migração, mudança climática e desperdício de alimentos.

A agência da ONU prevê que no futuro, as pessoas vão consumir menos cereais e grandes quantidades de carne, frutas, vegetais e comida processada. Com isso, haverá mais desmatamento, degradação de terra e emissões de gases que causam o efeito estufa.

Se nada for feito para reduzir as desigualdades, mais de 600 milhões de pessoas estarão subnutridas em 2030. Se o ritmo de progresso não acelerar, será difícil erradicar a fome até 2050.

A FAO explica que os sistemas agrícolas terão de passar por “grandes transformações”, assim como as economias rurais e o manejo dos recursos naturais. O desafio será produzir mais com menos, melhorar as condições dos pequenos agricultores e garantir acesso à comida para os mais vulneráveis.

Confira aqui entrevista do chefe da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, à ONU News, serviço de informação da ONU em Nova Iorque.


Fonte: Portal da ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes