segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

UNFPA e governo discutem parcerias para combater violência contra jovens negros


Nesta semana (8), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) se reuniu com o secretário nacional de Juventude, Assis Filho, para discutir futuras parcerias em prol dos direitos da população jovem no Brasil. Representantes da agência da ONU e do governo destacaram a importância de recuperar o Plano Juventude Viva, projeto para reduzir a vulnerabilidade de jovens negros à violência física e simbólica.

“Precisamos reconhecer os problemas e buscar parceria para solucioná-los. O combate à violência e a promoção da autonomia da juventude negra é uma parte fundamental destes esforços”, disse Assis Filho. O secretário afirmou ainda que a sociedade brasileira tem uma dívida histórica com a população negra que precisa ser saldada.

De acordo com o UNFPA, os temas discutidos na reunião vão ao encontro dos que serão abordados pelo Mapa da Violência de 2016. O relatório, com previsão de lançamento para 15 de fevereiro, tem como foco os homicídios por armas de fogo no Brasil, que afetam principalmente os homens negros jovens — mas que também têm aumentado entre as mulheres jovens.

Em 2015, as Nações Unidas declararam a Década Internacional de Afrodescendentes, período que vigorará até 2024. Ao longo dos dez anos previstos pela iniciativa, Estados-membros são incentivados a fortalecer ações contra a discriminação racial e em favor dos direitos da população negra. Nos próximos meses, a ONU lançará, no âmbito da Década, uma nova campanha de combate à violência contra jovens negros.

O UNFPA e a Secretaria Nacional coordenam o Grupo Assessor Interagencial sobre Juventude, que busca estabelecer um espaço de diálogo entre governo, sociedade civil e as Nações Unidas no Brasil.

A responsável do UNFPA pela área de adolescências e juventudes, Anna Cunha, ressaltou a importância da participação de jovens nas tomadas de decisões em espaços multilaterais. A especialista citou a recente realização do Fórum da Juventude de 2017 na sede da ONU, em Nova York.

Segundo o representante da agência da ONU no Brasil, Jaime Nadal, as políticas de juventude do país são exemplos que devem ser levados para outras nações. “As experiências brasileiras permitem nortear temas relacionados à juventude no sul global”, afirmou durante a reunião.

Também participaram do encontro o representante adjunto do UNFPA, Yves Sassenrath, a representante auxiliar do organismo, Fernanda Lopes, e o chefe de gabinete e coordenador de assuntos internacionais da Secretaria, Rafael Braga.


Fonte: Portal da ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes