terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Cultura do Estupro faz mais uma vítima


Há 11 dias, o adolescente de 17, funcionário de um lava-jato em Campo Grande (MS), foi vítima de um ataque violento de seus dois colegas de trabalho. Segundo testemunhas, o garoto que trabalhava no lava-jato foi vítima de uma “brincadeira” que não tem graça nenhuma.

Abusado de maneira desumana pelos colegas de trabalho Thiago Demarco Sena, 20 anos, suposto dono do lava jato, e Willian Henrique Larrea, 30 anos, o jovem não aguentou e faleceu na tarde de ontem, 14 . Ao que indica o delegado Paulo Sérgio Lauretto que ouviu o jovem internado juntos aos profissionais da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Wesner Moreira da Silva havia sido ferido com uma mangueira de ar comprimido inserida em seu ânus. A pressão do jato foi tão intensa que intestino grosso se rompeu, perdendo 40 cm, comprimindo os pulmões, trancando as válvulas respiratórias.

O estupro ocorreu no dia 03 de fevereiro, por volta das 10 horas da manhã.
"Ele disse que aquilo não era tipo de brincadeira, disse que pediu para eles [suspeitos] pararem diversas vezes, mas que só pararam depois que ele começou a vomitar e a defecar", afirmou Lauretto em entrevista.

Ainda segundo o delegado responsável pelo caso os violentadores se apresentaram à delegacia, mas não foram presos porque assumiram a responsabilidade do crime e não oferecem riscos à vítima. Apesar de tudo, o caso ainda não foi registrado como abuso porque não ficou evidente a conotação sexual para a polícia. Por enquanto havia sido tipificada como lesão dolosa, porque mesmo sem intenção o jovem foi gravemente ferido.

Recentemente houve um caso parecido em Aulnay-sous-Bois, na periferia norte de Paris - França. Theo, um jovem negro de 22 anos precisou ser submetido a cirurgia após ter sofrido graves ferimentos na região retal durante uma operação de verificação de identidade. O jovem afirma que um dos policiais abusou dele usando um cassetete durante sua prisão.

Por lá, o crime foi registrado como um estupro e os quatro agentes envolvidos foram suspensos das suas funções. A resposta foi mundial e nos últimos dias uma série de manifestações de ação direta têm acontecido pela França e estão sendo fortemente repreendidas pela polícia.

A morte de Wesner e a cultura do estupro
O discurso no estupro de mulheres é recorrente em responsabilizar as vítimas, alegando que seus algozes teriam sido provocados. Nos casos de Campo Grande e de Alnay-sous-Bois fica claro, entretanto, que o estuprador não "se sentiu atraído" pelas vítimas.

Estupro não é sexo. Sexo é a relação consensual entre dois adultos, que sabem exatamente o que estão fazendo, sem haver qualquer coerção para isso. Estupro, por outro lado, não tem como fim o prazer sexual. É um crime de poder, uma forma de controle social, em que a submissão do outro é o que importa.


Fonte: Portal Ninja

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes