quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

9 benefícios da amamentação prolongada


A amamentação é uma das experiências mais incríveis da maternidade e não há dúvidas sobre o quão importante ela é para a saúde do bebê. Mas até quando devemos amamentar? Será que existe uma idade limite ou um momento em que o leite materno já não é mais benéfico para as crianças?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a amamentação deve ser exclusiva até os 6 meses - o que significa que o bebê só deve receber leite materno até lá - e complementar até os 2 anos ou mais.

Sim, a recomendação é que o aleitamento materno siga até, pelo menos, os 2 anos de idade, em paralelo com a alimentação da criança, que deve ser rica e variada. Mas ele pode (e deve) prosseguir se mãe e filho desejarem.

“Além de colo e aconchego, mamar deixava a Malú mais segura e também foi muito importante para a saúde dela”, conta Raquel Pedro, mãe de Maria Lúcia, de 4 anos. O desmame para as duas aconteceu de forma natural e tranquila, como parte do processo de crescimento da garotinha. “Com 3 anos e 2 meses, ela me disse que não queria mais mamar e que o peito seria agora só do Davi, seu irmão menor”, explica Raquel.

O ideal é mesmo que o desmame seja de forma natural, ou feito gentilmente através de conversas, quando a mãe achar que realmente é necessário parar antes da criança pedir.

Infelizmente, muitas vezes vemos pressões sociais para que a mulher pare de amamentar, ouvindo coisas como “essa criança é muito grande para mamar” ou “você está fazendo mal a ela”.

Mas a verdade é que manter a amamentação só traz benefícios para mãe e bebê. Confira 9 deles abaixo.


1. Nutrição

De acordo com informações do Unicef, no segundo ano de vida, 500 ml de leite materno fornecem 95% das necessidades de vitamina C, 45% das de vitamina A, 38% de proteína e 31% do total de energia que uma criança precisa diariamente. E, mesmo depois dos 2 anos, o leite materno ainda é uma importante fonte de nutrientes.

2. Saúde

O caráter imunológico da amamentação continua a valer. “O leite materno previne a criança de doenças como infecções gastrointestinais, respiratórias e urinárias, principalmente”, explica a pediatra Silvia Gioielli. Além disso, quando as crianças ficam doentinhas e não querem comer nada, o leite materno oferece nutrição e conforto para que se recuperem mais rapidamente.

3. Segurança

Você pode até ouvir por aí que crianças que mamam após os 2 anos ficam mais dependentes da mãe, mas saiba que isso não é verdade. Uma criança que tem o aconchego da mamada sempre que precisa torna-se mais segura e confiante para desbravar o mundo. “As crianças que conquistam a sua independência em seu próprio ritmo, são mais seguras que as crianças forçadas a isso prematuramente”, tranquiliza a pediatra.

4. Desenvolvimento dos músculos da face

“Mamar no peito é um ótimo exercício da musculatura da face e da boca, o que estimula favoravelmente as funções da respiração e deglutição”, afirma Silvia. Isso não acontece com o uso da mamadeira, pois é justamente o movimento que o bebê faz para ordenhar a mama que favorece o desenvolvimento harmonioso da face e da dentição.

5. Menos chances de alergias

A proteína das fórmulas infantis é derivada do leite de vaca e tem grande potencial de causar alergias. A soja também entra para a lista de alimentos com grande potencial alergênico. Portanto, quanto mais tarde seu filho tiver contato com eles, melhor.

6. Inteligência

Pesquisadores da Escola de Medicina de Christchurch, na Nova Zelândia, conduziram um estudo que mostrou que crianças amamentadas por mais tempo têm melhores resultados na escola. David M. Ferguson e L. Jonh Horwood, autores da pesquisa, defendem a ideia de que as gorduras insaturadas encontradas no leite humano são importantes para o crescimento do cérebro e do sistema nervoso.

7. Vínculo

A amamentação constitui um importante processo de vínculo entre mãe e criança. No caso da amamentação prolongada, esse processo continua a crescer e a criar bases sólidas e importantes para o desenvolvimento do seu filho.

8. Mãe saudável

A amamentação reduz os riscos de câncer de mama (proporcional ao tempo que amamenta), reduz a incidência de osteoporose e diminui riscos de câncer de útero e de ovário.

9. Economia

As vantagens da amamentação prolongada também chegam ao seu bolso, já que você não precisará gastar dinheiro com as fórmulas infantis.


Fonte: Portal Disney Babble

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes