domingo, 30 de outubro de 2016

Tijolo é produzido a partir de plásticos retirados dos oceanos


O plástico, por estar presente em diversos produtos que usamos em nosso dia a dia, pode ser considerado um dos grandes vilões quando falamos em descarte incorreto de materiais. Ao invés de ser encaminhado à reciclagem, grande parte do material é enviado a aterros sanitários, indo parar também nos oceanos, causando danos severos ao meio ambiente.

Com o decorrer dos anos, os pedaços de plástico se fragmentam nos oceanos e, ao serem confundidos com alimentos, prejudicam a vida de todos os tipos de animais, desde seres microscópios até grandes peixes e aves. Para se ter ideia da gravidade do problema, segundo informações divulgadas no Fórum Econômico Mundial de Davos, em janeiro deste ano, em 2050, é possível que os oceanos tenham mais resíduos de plásticos do que peixes.

Sabendo disto e pensando em uma forma de fazer a diferença, a start up ByFusion criou um tijolo ecológico desenvolvido a partir de todos os tipos de plásticos retirados dos oceanos. Uma máquina modular comprime os plásticos em blocos duráveis que, a princípio, foram configurados no formato de um bloco de cimento comum. Porém, segundo os fabricantes, o tijolo ecológico, que foi batizado de Replast, pode ser customizado em diferentes formas e densidades.

O Replast não precisa de colas ou adesivos, possui elevado isolamento térmico e acústico e, segundo a ByFusion, sua fabricação emite 95% menos gases de efeito estufa(GHG) em comparação com um bloco de concreto. A máquina que produz os tijolos pode ser transportada em contêineres para qualquer lugar do planeta, o que facilita sua distribuição.

O tijolo ecológico vem sendo usado na construção de muros e barreiras de estradas, mas a empresa já está trabalhando para que o Replast possa ser usado na construção de casas e edifícios. Confira abaixo um vídeo que mostra o funcionamento da máquina e a construção de um muro com o tijolo ecológico.

E então, o que acharam do tijolo ecológico? Será que, no futuro, ele será mais uma opção sustentável para a construção de moradias? Por enquanto, fica a reflexão sobre o consumo de plásticos em nosso dia a dia. Diminuir o consumo destes materiais é possível e uma dica bacana é reaproveitar de alguma forma o plástico que costumamos usar. 


Fonte: Portal Condomínios Verdes

1 comentários:

Wilson Stangret disse...

O maior problema é que grandes máfias que se alojaram junto às grandes cidades no que se refere à coleta de lixo,todo plastico ,papel,metais etc tem um bom valor agregado,para acabar com os aterros sanitários bastaria criar cooperativas de reciclagem nas periferias mas não existe intenção porque grandes empresas como em Curitiba,maringá,Londrina etc,estão em conluio com políticos corruptos e incompetentes como demonstrou Fruet,totalmente incompetente ,só se mantem político com seu discursinho de moralista e honesto,mas o que se viu em Curitiba foi uma catástrofe total,abandonou os bairros ,tirou serviços da prefeitura como coleta de animais mortos,retirada de lixo,travou a Cohab,tudo em nome de equilibrar o orçamento,hora se nada se faz ,nada se gasta!!!!

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes