domingo, 9 de outubro de 2016

Racismo é apontado como determinante em mortes maternas no Brasil


Juliana deu entrada no hospital Ronaldo Gazolla, na favela do Acari, no Rio de Janeiro, grávida de sete meses. Foi ao passar pela porta de entrada que as agressões começaram. Juliana e o filho saíram mortos do hospital em setembro de 2014. Juliana era negra, tal como a maioria das mulheres que morrem durante a gravidez ou parto no Brasil. A cada dez mortes, pelo menos seis são de mulheres negras. Esse é um dos dados que aparecem no dossiê apresentado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que denuncia a violência contra as mulheres negras no Brasil.

Clique aqui para ouvir a Rádio


Fonte: Rádio Agência Nacional

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes