domingo, 25 de setembro de 2016

Empoderadas e cheias de atitude, mulheres conquistam o rap


Durante muito tempo, o rap ficou conhecido como um gênero musical majoritariamente formado por artistas homens. Há alguns anos, as mulheres têm aparecido com destaque no estilo. Hoje, o ritmo tem nomes como Karol Conká, Flora Matos, Drik Barbosa e Tássia Reis como representantes. “Durante muito tempo, fomos colocadas de lado e ainda somos. Estamos no último lugar da fila de qualquer coisa”, analisa a paulista Tássia Reis.

Para a cantora, um dos diferenciais da maior inserção das mulheres no rap está ligado ao fato de as artistas trazerem uma nova discussão para a música. “A história de um rap cantada por um cara nunca vai ser a mesma cantada por uma mulher. Esse lance do espaço ninguém nos deu, nós que fizemos. Estamos abrindo à força mesmo e conseguindo falar o que queremos e o que as pessoas querem ouvir”, completa a cantora.

Em 2013, Tássia Reis lançou o primeiro EP da carreira. O álbum, que levou seu nome, tem sete faixas, entre elas, o hitMeu rapjazz. Neste ano, a paulista divulgou mais um EP. Intitulado Outra esfera, o material inclui também sete faixas. Tássia o define como um disco complexo. “Ele representa a eterna busca de se encontrar, de superar os limites que nós mesmos impomos e os que a sociedade nos impõe”, afirma.



Empoderamento feminino e questões relacionados às mulheres negras estão entre os temas do disco, como em Ouça-me, quando a cantora diz que a “revolução será crespa, doa a quem doer”. “Acho que estamos nesse momento de entender esse tal do empoderamento e o disco tem a ver com isso. Sobre entender quem você é e como se empoderar como ferramenta”, diz a cantora. Já em Da lama/afrontamento, uma parceria com Stefanie, ela discute a desigualdade social, principalmente, em relação aos negros.


A união que faz a força

O espaço conquistado pelas mulheres no rap também tem sido relacionado com união das próprias artistas que se ajudam no meio. Um exemplo disso é o projeto Rimas & Melodias criado no fim de 2015, com o objetivo de reunir mulheres no rap.

O projeto é formado por sete artistas ligadas ao estilo musical e foi uma iniciativa da cantora Tatiana Bispo. “Fiquei imaginando que seria legal juntar meninas que cantam com meninas que rimam”, conta a cantora Tatiana Bispo. Ela, então, falou com a DJ Mayra Maldjian, que a ajudou colocar a ideia em prática. “Fomos pensando nas meninas que naquele momento eram as que estavam com mais afinidade”, completa.



Com Tatiana Bispo e DJ Mayra e a chegada de Alt Niss, Drik Barbosa, Tássia Reis, Karol de Souza e Stefanie, formou-se o grupo de hip-hop. A união rendeu 10 vídeos-sessions publicados no Facebook e no Youtube. Inicialmente, seria apenas uma roda de rimas, um cypher, como é chamado pelos artistans do estilo musical, com músicas inéditas, como Rima sim, e também canções dos trabalhos solos de cada artista. “Nossas músicas passam essa mensagem de união e empoderamento, que é necessária que chegue a outras mulheres, principalmente as mulheres negras que enfrentam o triplo de problemas na nossa sociedade”, afirma Drik Barbosa.


SERVIÇO

Outra esfera
De Tássia Reis. Independente, 7 faixas. Disponível nas plataformas digitais.


Rimas & Melodias
Disponível em www.youtube.com/c/projetorimasemlodias_ e www.facebook.com/projetorimasemlodias.

Conheça as integrantes do Rimas & Melodias

Alt Niss

Antes de seguir em carreira solo, a cantora fez backing vocal para alguns artistas como Slim Rimografia e Amiri. A artista se inspira no R&B e soul para compor o estilo musical. Seu single mais recente é Das 3 as 6.

Drik Barbosa

Começou a chamar atenção ao fazer rimas na Batalha do Santa Cruz, em São Paulo. Participou do disco Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa, de Emicida. Entre suas faixas autorais, estão Deixa eu te levar e Banho de chuva.

Karol de Souza

A curitibana iniciou a carreira como backing vocal de Flora Matos. Em 2013, lançou o primeiro material solo, intitulado Rap até o fim, que tem faixas como Rap cheio de amor. Seu mais recente trabalho é Quem é que tem o poder.

Mayra Maldjian

Começou a discotecar em 2008. Fez parte da crew feminina de turntablism (arte de manipular som usando um turntablist e um DJ mixer), Appleblum, ao lado de Lisa Bueno, Vivian Marque, Tati Laser e Simmone.

Stefanie

A rapper ficou conhecida pelos trabalhos no coletivo Pau-de-Dá-em-Doido e no grupo Simples. Já gravou canções com artistas mais conhecidos, como a própria Tássia Reis no EP Outra esfera.

Tatiana Bispo

Cantora e compositora envolvida com o R&B e neo soul dos anos 1990. Fez backing vocal da cantora de jazz Mara Nascimento. Entre seus trabalhos, estão as faixas Deixa a música falar e Asas.


Fonte: Jornal Correio Braziliense

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes