segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Dois terços dos jovens de 18 países dizem ter sido vítimas de bullying


Nove em cada 10 jovens de 18 países pesquisados acreditam que o bullying é um problema generalizado em suas comunidades, e dois terços dizem que sofreram com isso, segundo nova pesquisa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros.

A pesquisa foi realizada por meio do U-Report. Por meio da pesquisa, os jovens responderam, via SMS, Facebook e Twitter, a uma série de questões sobre o impacto do bullying em suas comunidades, suas próprias experiências pessoais e o que pensam que pode ser feito para acabar com esse tipo de violência.

Mais de 100 mil jovens entre 13 e 30 anos participaram da pesquisa, de países como Senegal, México, Uganda, Serra Leoa, Libéria, Moçambique, Ucrânia, Chile, Malásia, Nigéria, Suazilândia, Paquistão, Irlanda, Burkina Faso, Mali, Guiné, Indonésia, Zâmbia.

“Bullying, incluindo o bullying on-line, continua sendo um risco, em grande medida incompreendido, ao bem-estar das crianças, dos adolescentes e dos jovens”, disse a assessora sênior de Proteção Infantil do UNICEF, Theresa Kilbane.

“Para acabar com esse tipo de violência, temos de sensibilizar o público para o impacto negativo do bullying, capacitar professores, pais e colegas para identificar riscos e comunicar incidentes, e prestar assistência e proteção às vítimas”.

Um terço dos entrevistados disse acreditar que sofrer bullying é normal e, por isso, não contou a ninguém. Além disso, a maioria dos entrevistados que relataram terem sido vítimas de bullying disse que foi intimidada por sua aparência física.

O bullying também foi atribuído ao gênero ou orientação sexual e etnia, sendo que um quarto das vítimas disse que não sabia a quem contar.

Oito em cada 10 entrevistados disseram acreditar que aumentar a conscientização por meio da formação de professores para que ajudem as crianças a se sentirem confortáveis em denunciar o bullying é uma maneira de resolver o problema nas escolas.

O UNICEF trabalha para instruir crianças e adolescentes sobre os efeitos do bullying como parte de sua iniciativa global “End Violence Against Children” (Pelo Fim da Violência contra as Crianças), por meio da plataforma U-Report e de campanhas globais nas redes sociais (#ENDViolence).

O UNICEF, com seus parceiros, também trabalha para fortalecer os sistemas de educação nas escolas e estabelecer mecanismos de referência fortes para o bem-estar infantil.


Fonte: Portal da ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes