domingo, 17 de julho de 2016

UE e agência da ONU promovem educação para crianças afetadas pela violência na América Central


A União Europeia e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) lançaram o projeto “Educação em Emergências” para tornar possível o acesso de mais de 9 mil crianças que vivem nos centros de acolhimento e abrigos de El Salvador, Guatemala e Honduras a atividades educativas e de proteção.

A UE contribuiu com 700 mil euros para apoiar o projeto, que se somaram aos 500 mil euros que, em 2015, foram destinados ao ACNUR para beneficiar cerca de 11 mil crianças na Guatemala e no México.

Para os meninos e meninas que vivem nos países do Triângulo Norte da América Central (El Salvador, Guatemala e Honduras), algumas atividades normais, como ir à escola ou jogar futebol em seus bairros, podem significar riscos de vida.

As crianças enfrentam todos os dias altos níveis de violência e são diretamente afetadas por ameaças, recrutamento forçado, deslocamento, confinamento, falta de acesso a serviços básicos e violência de gênero.

Por meio de programas de educação, sensibilização e proteção, o projeto “Educação em Emergências” de 2016 contribuirá para o desenvolvimento das crianças e aumentará a segurança nos países da região.

Além disso, mais de 500 funcionários públicos e trabalhadores da sociedade civil serão capacitados para atuar de acordo com as necessidades de educação e proteção das crianças. No total, aproximadamente 30 mil pessoas receberão material de sensibilização e incentivo.

A verba é parte de um total de 52 milhões de euros designados em 2016 pela União Europeia para projetos de educação voltados às crianças que vivem em áreas afetadas por emergências.

“Também pretendemos levar o projeto para El Salvador e Honduras a fim de conseguir o mesmo resultado sobre os mecanismos de proteção que alcançamos na Guatemala, onde o ACNUR foi o principal condutor e incentivador”, disse Vicente Raimundo, diretor do Escritório regional para a América Central, México e Caribe da Direção-Geral de Ajuda Humanitária e Proteção Civil da Comissão Europeia (ECHO).

“Para que estas crianças e adolescentes da América Central possam construir seu futuro, é essencial que tenham acesso à educação e proteção em locais seguros”, disse Andrés Ramirez, representante do escritório regional do ACNUR na América Central, Cuba e México.

O projeto da UE e do ACNUR será implementado nos departamentos de Usulután, San Miguel, Santa Ana e San Vicente em El Salvador, assim como nos departamentos de Petén e Quetzaltenango na Guatemala, e nos departamentos de Tegucigalpa, Francisco Morazán e Cortés em Honduras.


Crianças estão entre as vítimas mais vulneráveis

A União Europeia, junto com seus Estados membros, é um dos principais doadores para a ajuda humanitária a nível mundial. Por meio da Ajuda Humanitária e Proteção Civil da Comissão Europeia (ECHO), a UE apoia especificamente projetos educacionais para crianças em situação de emergência.

As crianças estão entre as vítimas mais vulneráveis durante e imediatamente após as crises. Elas correm alto risco de serem separadas de suas famílias e de sofrerem deslocamento forçado.

De acordo com as Nações Unidas, atualmente existem cerca de 9,9 milhões de crianças refugiadas, e estima-se que 19 milhões tenham sido forçados a se deslocar dentro de seu próprio país devido aos conflitos.

As iniciativas do “Educação em Emergências”, financiadas pela UE, possibilitam às crianças ter acesso a escolas, onde podem aprender em um ambiente saudável, recebendo apoio psicológico para superar suas experiências traumáticas.

Até o final de 2016, mais de 3,8 milhões de crianças terão recebido ajuda em 46 países ao redor do mundo, algum deles na América Latina, como é o caso da Colômbia, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México e Venezuela.


Fonte: Portal da ONU 

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes