segunda-feira, 13 de junho de 2016

Nova vacina pode oferecer cura para intolerância ao glúten


Cientistas de uma empresa dos EUA criaram uma vacina capaz de permitir que pacientes com doença celíaca comam alimentos com glúten sem sofrer efeitos colaterais. A vacina, que recebeu o nome de NexVax2, reprograma o sistema imune do corpo de modo que ele não ataque o intestino em resposta ao glúten na dieta. As informações são do jornal Daily Mail.

Pessoas que sofrem com doença celíaca, ou intolerância ao glúten, não podem comer nada que contenha a proteína, encontrada no trigo, cevada e centeio. Não existe tratamento para a doença e os sofredores estão em maior risco de infertilidade, osteoporose e câncer de intestino, se não mantiverem uma dieta livre de glúten. A doença celíaca ocorre porque as proteínas nocivas do glúten danificam as pequenas projeções, chamadas vilosidades, que alinham o intestino delgado e ajudam a estimular a digestão. Quando danificadas e inflamadas, as vilosidades são incapazes de absorver os alimentos corretamente, o que muitas vezes provoca diarreia e desnutrição.

Carente de vitaminas e minerais da dieta, os ossos começam a enfraquecer, aumentando o risco de osteoporose. Estudos mostram que o risco de câncer de intestino também é maior, possivelmente porque o corpo não consegue absorver a fibra dietética que pode ajudar a proteger contra a condição. A vacina experimental, que está prestes a entrar em testes em humanos depois de ter sido avaliada com sucesso em laboratório, poderia ser um grande avanço.

NexVax2 funciona reprogramando o sistema imune do corpo de modo que ele não ataca o intestino em resposta ao glúten na dieta.

Depois de identificarem 3 mil fragmentos proteicos do glúten que causam danos ao organismo, os cientistas reduziram esse número a três, que pareceram explicar quase todos os casos da doença celíaca. A vacina contém esses pequenos fragmentos de proteínas que são responsáveis pelo desencadeamento exagerado do sistema imune durante o processo digestivo. Como eles são muito pequenos, o sistema imunológico não lança um ataque e, gradualmente, aprende a aceitar as proteínas como inofensivas. Durante uma série de vacinas subsequentes, a quantidade de proteínas introduzidas no corpo é aumentada gradualmente. Isto permite que o sistema imunológico habitue-se lentamente a níveis mais elevados de glúten de modo que, quando ele é reintroduzido na dieta, não desencadeia um ataque potencialmente devastador.

A empresa por trás da vacina, chamada Immusant Inc, espera que ela permita que as pessoas com a doença sejam capazes de comer pão como parte da dieta.


Fonte: Portal da Associação dos Celíacos do Brasil - Paraná (ACELPAR)

3 comentários:

Anajo Batista disse...

Meu Deus que seja verdade!!! Que essa vacina seja logo vendida nas farmácias.Ter essa doença é muito sofrimento!

Anajo Batista disse...

Meu Deus que seja verdade!!! Que essa vacina seja logo vendida nas farmácias.Ter essa doença é muito sofrimento!

Ana disse...

Mal posso esperar por este milagre, minha filha é celíaca e sofro tanto quanto ela, que Deus abençoe estes cientistas para que tudo saia certo.

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes