segunda-feira, 25 de abril de 2016

Banco Mundial: 1,2 bilhão de pessoas ainda vivem sem eletricidade e 663 milhões sem água potável


Ao menos 663 milhões de pessoas não têm acesso à água potável e adequada para uso humano e, em 2025, haverá 1,8 bilhão de indivíduos vivendo em áreas com absoluta escassez de água. Cerca de 1,2 bilhão de pessoas ainda vivem sem eletricidade e 60% da população mundial não tem acesso à internet. Pelo menos um terço dos moradores do meio rural só tem acesso a estradas que não são totalmente seguras em determinadas situações climáticas.

Essas e outras defasagens em infraestrutura levaram os líderes dos bancos multilaterais de desenvolvimento (BDMs) a se reunirem pela primeira vez no Fórum Global de Infraestrutura, em Washington, durante o final de semana (16).

O encontro, promovido pelo Banco Mundial e os organismos participantes, buscou soluções para aprimorar o alinhamento e a coordenação entre os parceiros para a promoção do desenvolvimento da infraestrutura sustentável, acessível e resistente nos países em desenvolvimento. As negociações foram pensadas para contemplar a diversidade de abordagens, políticas e procedimentos que variam conforme as instituições envolvidas.

Presente na abertura do evento, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, destacou que a disponibilização de mais recursos é necessária para garantir o acesso de todos à eletricidade, água e saneamento. “O Fórum também deve trabalhar para garantir que todos os investimentos de infraestrutura sejam sustentáveis econômica, social e ambientalmente”, disse.

Organizado em estreita colaboração com as Nações Unidas, o encontro entre chefes de diferentes organismos é um dos legados da Agenda de Ação de Adis Abeba sobre financiamento para o desenvolvimento. A iniciativa ressalta que combater as desigualdades no acesso à infraestrutura é fundamental para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Para tanto, o Banco Mundial considera que é preciso não apenas alavancar o envolvimento da iniciativa privada, mas também melhorar a governança e a eficiência, a fim de obter mais benefícios dos gastos já existentes em infraestrutura.

Os BMDs têm um forte histórico de colaboração no financiamento direto de projetos e na mobilização de capital privado, além de atuar para melhorar as capacidades e o conhecimento relacionados a infraestrutura.

Entre os organismos financeiros que participaram do Fórum, estavam o Banco Africano de Desenvolvimento, o Banco Asiático de Desenvolvimento, o Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura, o Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento, o Banco Europeu de Investimentos, o Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Banco Islâmico de Desenvolvimento, o Novo Banco de Desenvolvimento, além de representantes do G20, G24 e G77.


Fonte: Portal da ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes