domingo, 24 de janeiro de 2016

Artigo - Por que "dar pinta" é tão ruim?


Por: Fabrício Longo*

É motivo de piada, é motivo de desconfiança, vira meme, debate, treta... Por que será que uma pose, uma virada de mão ou um jeito de falar transformam alguém em "suspeito", e já servem para adiantar a punição?

A bola da vez é o modelo Renan do #BBB16, que segundo internautas está "dando muita pinta". Em uma matéria sobre o caso - afinal, uma coisa dessas é até notícia - um amigo do rapaz até o DEFENDEU (atenção à palavra) dizendo que, por trabalhar com moda, Renan é muito vaidoso e "tem esse jeitão". Ele está sendo ACUSADO de ser gay e de estar tentando - e falhando em - esconder isso, a ponto de precisar ter sua autodeclarada heterossexualidade DEFENDIDA por um amigo. Qual é o crime nessa história?

O crime é o de atentar contra a masculinidade. Por mais que se trate de um homem alto, musculoso e bonito - ou talvez por isso mesmo, já que sua aparência talvez devesse servir para "pegar mulher" - , Renan OUSA ter "comportamentos afeminados" com se preocupar com o cabelo e com suas roupas. Por alguma coisa que as pessoas apontam como "de bicha" em seu comportamento, o tipo de humor masculino de fazer troça com viadagem ou ficar de "brodagem" com os amigos será lido, no caso dele, como evidência do que ele estaria tentando esconder.

Ora, digamos que ele seja gay. A quem isso interessa? Não é por estar no programa que ele necessariamente precisaria falar sobre isso, mas caso estivesse mesmo tentando esconder, provavelmente estaria fazendo-o por julgar que essa informação o prejudicaria no jogo, na carreira aqui fora ou com sua família. E não sendo o caso, que motivos teria ele para ficar policiando os próprios gestos e se preocupado se tal e tal careta parece mais ou menos viada?

Nada disso tem graça. É esse tratamento depreciativo da homossexualidade que faz com que algumas pessoas se escondam, que algumas famílias se desfaçam e que outros até se matem. É esse pensamento que diz que um grupo de pessoas é menor, vale menos do que outro, tem menos direitos, que faz com que LGBTs andem pelas ruas ressabiados, sabendo que o próximo ataque físico ou verbal pode estar dobrando a esquina.

Ser gay não é pecado, não é feio, não é triste, não é crime. "Dar pinta" de gay ou "ser acusado" de sê-lo não precisa significar uma "morte social" só porque abala esse ideal ridículo e tão frágil de uma masculinidade embrutecida, que impede os meninos de demonstrar afeto, estimula a violência, a misoginia e uma conduta sexual predatória.

VERGONHOSO É SER MACHISTA!

Obs: Gays que estão zoando a pinta do Renan estão, na verdade, reproduzindo - e fortalecendo - a opressão de que são vítimas. É esse comportamento, esse dizer que "dar pinta" é motivo de riso, que manda a mensagem de que ser gay vale menos. De que somos inferiores.


* Fabrício Longo é O entendido FABULOSO! Ator, cientista social, apaixonado por Antropologia e Coca-Cola. Ateu ferrenho, corre o sério risco de ser soterrado por suas coleções da bonecas Barbie e quinquilharias da Mulher Maravilha. Editor-chefe do site, assina a coluna "Dando Pinta" e morre de orgulho dela, já que tantas pessoas se sentem tocadas pelos textos. Entretanto, admite ser o mais beneficiado porque ela literalmente mudou sua vida. Cantadas, sugestões de pauta, nudes e ataques para fab@osentendidos.com.


Fonte: Portal Os Entendidos, Coluna "Dando Pinta"

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes