domingo, 24 de janeiro de 2016

Artigo - A marcha para satanás e a intolerância religiosa


Por: Marco Bueno

No Brasil, o direito ao protesto é garantido constitucionalmente pela combinação de três direitos especificados no artigo 5º da Constituição Federal, que são a liberdade de expressão, a liberdade de reunião e a liberdade de associação.

Embora os cidadãos tenham liberdade de protestar, eles devem ficar atentos pois o mesmo artigo que dá o direito faz algumas ressalvas, que são elas: é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público; é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar.

Pois bem, certo de que estão todos cientes de seus direitos e deveres, já há algum tempo está sendo amplamente divulgado nas redes sociais que dia 17/01/2016 uma “Marcha para Satanás” está prevista de ocorrer em várias capitais brasileiras. Contrário do que muita gente pensa a Marcha para Satanás, segundo os organizadores do evento, não é um evento satânico de verdade (a base de pentagramas, sacrifício de animais e cultos a Lúcifer) e sim uma crítica aos movimentos religiosos conservadores, intolerantes, preconceituosos e usurpadores de liberdades e direitos que tentam impor a suas crenças as pessoas que não compartilham da mesma fé e ideais.

Bem, se a intenção dessa Marcha para Satanás tem por objetivo principal trazer a discussão a intervenção religiosa cristã que está ocorrendo em todo o Brasil e até mesmo provocar os crentes fundamentalistas, posso afirmar com muita propriedade que antes mesmo do evento ocorrer, a meta foi alcançada. Digo isto porque me deparei com inúmeros evangélicos se posicionando para boicotar com orações, preces, jejuns esse evento satânico, que segundo os crentes em questão não passa de um movimento social de Lúcifer que escolheu o Brasil para seu reinado.

Infelizmente, vindo de muitos cristãos com suas crendices ignorantes e maléficas, não dá para se esperar atitude diferente em eventos contrários a suas ideologias, crenças, fé, convicções. Isto é uma grande verdade, pois basta a sociedade multicultural precisar discutir assuntos delicados como família, aborto, homossexualidade, liberdade por exemplo – para aparecer cristãos com suas bíblias metendo a colher nas orientações religiosas, nas opiniões, nos hábitos e costumes alheios.

Tratando-se exclusivamente do Ocidente, os evangélicos em grande parte são os que mais desequilibram a sociedade; são os que mais fazem confusão; são os que mais se intrometem nas vidas alheias, são os que mais desejam governar o mundo; são os que mais querem converter/salvar pessoas com seus evangelhos, doutrinas e dogmas, enfim, os evangélicos na sua grande maioria são os que mais causam dissabores sociais, sejam na família, na escola, na rua, na empresa e nas próprias igrejas.

Gostaria de estar sendo sensacionalista, mas a rotina dos religiosos medíocres mostra que não estou. Por pior que seja, dificilmente se vê pagãos, ateus, agnósticos, espíritas, espiritualistas, esotéricos, umbandistas, candomblecistas, satanistas entre tantos outros segmentos promovendo a intolerância religiosa; disseminando o preconceito, a discriminação, o ódio contra os não iguais.

Tirando os casos isolados, dificilmente alguém poderá afirmar com propriedade que os irreligiosos, as pessoas mundanas ou as orientações filosóficas/religiosas não-cristãs são as culpadas pelo alto índice de violência e intolerância religiosa que permeia a sociedade.

Um evento está previsto para ocorrer amanhã 17/01/2016, mas independente de que ele vá acontecer ou não, me corrija se eu tiver errado: se há algum demônio querendo dominar a sociedade brasileira, ele não é das trevas, é dá luz. E pior que isso, ele é cristão.


Confira reportagem da Marcha para Satanás em Natal/RN abaixo:




Fonte: Blog do Marco Bueno / Via Certa Natal

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes