segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Ação na Praça concientiza sociedade sobre importância de não dar dinheiro a pedintes


Com entrega de mudas e sementes de plantas e squeezes, a SAS (Secretária Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania) conscientizou as pessoas de não dar dinheiro a pedintes. O evento que tem o tema “Não dê dinheiro, espalhe essa ideia”, aconteceu nesta quinta-feira (10) na Praça Ari Coelho, região central de Campo Grande.

O coordenador do Centro POP (Centro Especializado em Atendimento a População em Situação de Rua), Diego Germani explica que o que contribui para que a pessoa permaneça nas ruas é a facilidade em se adquirir substâncias psicoativas e etílicas. “Nossos registros indicam casos de 400 a 450, pessoas em situação de rua. Grande parte são usuários de entorpecentes, por isso existe uma parceria com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), dependendo do caso, encaminhamos para unidades, que possuem tratamento específico e adequado. A proposta do Centro POP é para que a pessoas em situação de rua, resgatem os vínculos familiares”, explica Germani.

A coordenadora do Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) Diony Basilio comenta que a rua também pode desencadear a exploração sexual. “A equipe oferece condições para que essas pessoas se cuidem de forma autônoma e independente. A rua pode desencadear aquilo que não é saudável. Lembrando que a abordagem das equipes, para as unidades especializadas, é efetuada por meio do convencimento, pois, o direito de ir e vir é constitucional”, pontua.

A psicóloga Giselle Brandão conta que antes ajudava dando dinheiro para os pedintes, mas percebeu que eles compravam bebidas e drogas.

Já o aposentado Antonio Nadra comenta que costuma ajudar ONGs socioassistenciais ou igrejas levando cestas básicas para ajudar as pessoas que moram nas ruas.” Achei a campanha da prefeitura muito relevante para que a sociedade se conscientize a não contribuir com dinheiro. Ninguém é feliz morando na rua”, enfatiza.

A orientação é para que a sociedade acione a rede de atendimento, especializado à população de rua, como o Seas (Serviço Especializado em abordagem social), pelo número 8405-9528, funciona por 24 horas. Caso a equipe perceba que a pessoa em situação de rua, se trata de criança ou adolescente são encaminhadas para o Conselho Tutelar de cada região
Sobre o Centro Pop e Seas

O Centro POP é uma unidade pública da Assistência Social, para atendimento especializado à população adulta em situação de rua. Este serviço proporciona espaço de referência para o convívio grupal, social e o desenvolvimento de relações de solidariedade, afetividade e respeito, além do atendimento psicológico jurídico e social, por uma equipe de psicólogos, advogados e assistentes sociais, oportunizando vivências para o alcance da autonomia.

Já o Seas é um serviço ofertado de forma continuada e programada, formada por educadores sociais, com a finalidade de assegurar trabalho social de abordagem e busca ativa que identifique nos territórios a incidência de trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua, dentre outras. Nessa direção, o serviço oferta atendimento para crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos e famílias que utilizam espaços públicos como forma de moradia, ou sobrevivência. São considerados como espaço de desenvolvimento de suas ações. Este serviço representa uma importante forma de acesso das pessoas em situação de rua à rede de Serviços Socioassistenciais e das demais políticas públicas, na perspectiva da garantia dos direitos.


Fonte: Jornal A Crítica

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes