segunda-feira, 30 de novembro de 2015

COP21: França emerge como líder em ‘financiamento verde’, diz estudo do PNUMA


A França tem mostrado sucesso na integração de fatores sustentáveis em sua arquitetura financeira. O novo relatório divulgado pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) nesta segunda-feira (23) mostrou como o país, que acolherá a Cúpula do Clima (COP21) no final do mês, envolveu atores públicos e privados ao longo das últimas duas décadas para introduzir medidas pioneiras relacionadas ao clima.

“A França é parte de um crescente catálogo de exemplos ao redor do mundo onde a sustentabilidade tem sido incorporada por tomadores de decisão do setor público e privado. Esta mudança nas considerações financeiras é um elemento de ambição coletiva que estamos vendo em todos os cantos a favor de um futuro sustentável. Mais do que isso, ela demonstra um impulso acelerado em direção à sustentabilidade que teremos que ampliar em Paris para combater a mudança do clima.

O estudo é a primeira análise profunda sobre como as questões ambientais estão cada vez mais permeando o sistema financeiro da França. O texto destaca a liderança do país na promoção da integração de sustentabilidade e fatores climáticos em decisões de caráter financeiro. Esta preocupação se transformou recentemente em medidas de informação e avaliação de risco sobre o clima– notadamente o Artigo 173 – adotado como parte da Lei de 2015 sobre a Transição de Energia para o Crescimento Verde.

Nick Robins, codiretor do estudo do PNUMA, disse: “Este novo relatório sobre a França adiciona à investigação uma análise em profundidade sobre as ações que os países ao redor do mundo tem tomado para alinhar os seus sistemas financeiros com o desenvolvimento sustentável. Ele mostra como o mercado e a inovação de políticas podem unir-se para aprimorar a performance e a resiliência do sistema financeiro.”

O modelo político e regulatório é um apenas um dos elementos que contribuem para tornar o Sistema Financeiro da França mais verde. O relatório identifica um vasto “ecossistema” de atores comerciais, públicos e sem fins lucrativos que vêm exercendo um papel essencial para a articulação de questões sustentáveis pelo sistema financeiro.

Sobre a COP21

De 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015 acontecerá em Paris, França, a 21ª Conferência das Partes (COP-21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) e a 11ª Reunião das Partes no Protocolo de Quioto (MOP-11).

A COP21 busca alcançar um novo acordo internacional sobre o clima, aplicável a todos os países, com o objetivo de manter o aquecimento global abaixo dos 2°C. A UNFCCC foi adotada durante a Cúpula da Terra do Rio de Janeiro, em 1992, e entrou em vigor no dia 21 de março de 1994. Ela foi ratificada por 196 Estados, que constituem as “Partes” para a Convenção.

Esta Convenção-Quadro é uma convenção universal de princípios, reconhecendo a existência de mudanças climáticas antropogênicas – ou seja, de origem humana – e dando os países industrializados a maior parte da responsabilidade para combatê-la.

A Conferência das Partes (COP), constituída por todos os Estados Partes, é o órgão decisório da Convenção. Reúne-se a cada ano em uma sessão global onde as decisões são tomadas para cumprir as metas de combate às mudanças climáticas. As decisões só podem ser tomadas por unanimidade pelos Estados Partes ou por consenso. A COP realizada em Paris será a vigésima primeira, portanto “COP21”.

O site da COP21 é o http://newsroom.unfccc.int/cop21parisinformationhub
O site local do evento é o http://www.cop21.gouv.fr/en
Todas as principais informações sobre o evento e cobertura em português serão publicadas em http://nacoesunidas.org/cop21


Fonte: ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes