domingo, 18 de outubro de 2015

Governo federal financia primeiro curso de pós-graduação em audiodescrição do país


Foi concluído na última semana o primeiro curso de pós-graduação em audiodescrição do país. Realizado com recursos e equipamentos da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, o curso é fruto de uma parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (MG) e teve como público-alvo comunicadores, artistas, roteiristas e profissionais interessados em fazer a descrição narrativa de produtos audiovisuais, de forma a promover acessibilidade cultural para pessoas com deficiência visual.

A demanda por profissionais audiodescritores vem crescendo gradativamente, à medida que a sociedade tem tomado conhecimento sobre o recurso e seus benefícios e sobre as leis que discutem os direitos das pessoas com deficiência no tocante ao acesso à comunicação, informação e entretenimento.

Nessa primeira turma foram formados 32 audiodescritores, que estão aptos a promover a implantação do recurso de audiodescrição pelo Brasil, auxiliando o acesso de pessoas com deficiência visual a produtos culturais como shows, espetáculos, peças teatrais, cinemas, museus e outros.

O professor do curso e componente da banca Laércio Santanna, que tem deficiência visual, aprovou o trabalho destacando a importância para facilitar o acesso ao público infantil das histórias que povoam o imaginário popular. “A deficiência não pode ser um fator limitador para que crianças tenham acesso ao universo simbólico que as histórias em quadrinhos representam; foi muito louvável a iniciativa”, avalia.

Coordenadora do curso de Audiodescrição, Eliana Lucia Ferreira se mostra contente com os resultados. “Acredito que o curso atingiu todos os seus objetivos e nós, como universidade pública, cumprimos nosso dever em disponibilizar à sociedade profissionais extremamente capacitados a desenvolver o recurso, que ainda é tão recente no Brasil, em todos os âmbitos da vida social, promovendo acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência.

De acordo com o censo de 2010, há um aumento significativo do número de pessoas com deficiência no Brasil. São mais de 45 milhões de pessoas com deficiência no Brasil e, dentre elas, 35 milhões têm deficiência visual. O número de pessoas que podem se beneficiar com a audiodescrição é ainda maior se levarmos em consideração os idosos, disléxicos, analfabetos e pessoas com déficit de atenção, entre outros.


Fonte: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República - SDH/PR

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes