domingo, 30 de agosto de 2015

Dia Nacional da Visibilidade Lésbica é comemorado neste sábado, 29 de agosto


Diversas ações serão realizadas no país para marcar o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, comemorado no dia 29 de agosto – data em que foi realizado o primeiro encontro do movimento, em 2006, no Rio de Janeiro. O objetivo é registrar a luta das mulheres contra a violação de direitos em decorrência de sua orientação sexual.

As ações ocorrem majoritariamente no Paraná, Bahia, Tocantins, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, e são coordenados pelas seguintes entidades: ABGLT, Liga Brasileira de Lésbicas, Rede Afro LGBT, Rede de Lésbica Negras (Candace), Sapatá, Núcleo de Gênero e Sexualidade da Universidade Estadual da Bahia, Núcleo de Pesquisas em Sexualidade da Universidade Federal do Tocantins e Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

De acordo com Roselaine Dias, articuladora nacional da Liga Brasileira de Lésbicas e integrante do Conselho Nacional de Combate à Discriminação LGBT, trata-se de um marco histórico. “A data resulta de uma luta necessária em razão do processo de exclusão contra a maioria das mulheres”, avalia. “Essa exclusão pode ser observada tanto no mercado de trabalho, quanto nas relações sociais, nas agressões verbais, na violência psicológica, e também contribuir para a perpetuação de crimes hediondos, como o ‘estupro corretivo’”, complementou a conselheira.

A coordenadora-geral de Promoção dos Direitos da População LGBT, Symmy Larrat, ressaltou ações do governo federal para este segmento da população. “Temos, por exemplo, uma parceria com Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República e o Ministério da Saúde para o atendimento de mulheres lésbicas, de modo que vamos qualificar o serviço público”, afirmou.

Marco Histórico

O Dia Nacional da Visibilidade Lésbica é comemorado no dia 29 de agosto. A data, criada no 1º Seminário Nacional de Lésbicas em 1996, no Rio de Janeiro, é um marco fundamental para o registro da luta de mulheres que têm seus direitos violados por sua orientação sexual no Brasil.


Fonte: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República - SDH/PR

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes