segunda-feira, 2 de março de 2015

No PI, 60% dos casos de violência contra mulheres acontecem com idosas

O Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar de Teresina (Nupevid) lança a campanha “Mulher Idosa: Proteção, Saúde e Cidadania”. De acordo com o promotor de justiça responsável pelo projeto, Francisco de Jesus, a campanha deve começar a ser executada no mês de março, quando é comemorado o Dia da Mulher. Segundo ele, este é o mês quando todos os olhares se voltam para o enfrentamento da violência praticada contra elas.

A campanha vai trabalhar com a mulher idosa, visitando casas de abrigos permanentes para saber como elas estão sendo tratadas, movimentando os estudantes das áreas de saúde em parceria com as faculdades e fomentando políticas públicas junto com as coordenadorias para que elas possam também trabalhar com a mulher idosa. “São as mulheres idosas as que mais sofrem violência, tanto no âmbito doméstico pelos parentes, como também pelos cuidadores, 60% dos casos de violência contra mulheres acontecem com as mulheres idosas”, afirma o promotor.

A campanha será executada através de um projeto que foi dividido em etapas, a primeira delas é a visitação às casas de abrigo permanente, em seguida serão promovidas políticas públicas através das coordenadorias. O Nupevid também entrará em contato com a Delegacia do Idoso para saber como são tratadas essas mulheres quando são vítimas de violência.

A violência contra a mulher idosa é uma realidade alarmante no Piauí. “Se você tem 8 mil casos durante todo o período de vigência da Lei Maria da Penha, 4.800 são de violência contra a mulher idosa. Por isso, a nossa ênfase na campanha como algo permanente. Assim como os outros projetos que foram feitos pelo Nupevid e ainda estão em funcionamento, esse também vai continuar durante toda a vida. Vamos estar sempre desenvolvendo campanhas que consistem em etapas e apresentação de resultados”, acrescenta. De acordo com o promotor Francisco de Jesus, todos os municípios do Piauí estão sendo mapeados para que o Núcleo possa iniciar o trabalho de interiorização.

Atualmente, o Nupevid está mapeando as casas de abrigo permanente e, posteriormente, cuidadores serão reunidos para participarem de cursos de capacitação. O promotor de justiça reforça que as mulheres idosas tendem a ser mais solitárias e têm medo de perder a companhia mesmo de alguém que a agride.

“Geralmente, a mulher idosa se sente muito sozinha, pois o marido morre primeiro e ela fica sob os cuidados de um parente que, muitas vezes, não dá assistência. Ela acaba sofrendo calada. Quando o caso de abandono ou maus tratos chega a Justiça, ela é tão carente que procura desistir do processo. Então, não vai adiantar nós prendermos e processarmos o agressor da mulher porque, às vezes, ela mesma não quer”, alega. Para Francisco de Jesus, é preciso conscientizar e orientar cuidadores e familiares até em relação a uma parte do benefício previdenciário que a pessoa que cuida tem direito, se este assume os cuidados e o benefício é destinado efetivamente a essa mulher.

A ideia do projeto é mapear todos os casos de violência desde 2010 até agora e, gradativamente, avaliar cada caso para saber como essa mulher vítima de violência está vivendo hoje. “Temos algumas orientações para repassar, tanto para a idosa quanto para a família, principalmente sobre a questão do desvio financeiro patrimonial da idosa que ocorre com frequência. O dinheiro da aposentadoria não é revestido em favor da idosa e até mesmo os medicamentos não são comprados. Vamos buscar a proteção da idosa em relação à saúde e cidadania”, aponta.


Fonte: Jornal O Dia

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes