quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Mapeamento da PRF aponta 1.969 pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais

Um dos mais importantes mecanismos de identificação e enfrentamento da exploração sexual de crianças adolescentes nas estradas, o mapeamento de pontos vulneráveis, realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), apresentou novos dados no final de novembro. De acordo com o estudo, existem atualmente 1.969 pontos vulneráveis nas rodovias, ou seja, locais que apresentam riscos de ocorrência de exploração sexual envolvendo pessoas menores de 18 anos.

Essa é a sexta edição do Mapear, como é conhecida a iniciativa. Os números - coletados em 2013 e 2014 - são os maiores já apresentados, desde que o estudo começou a ser realizado. O aumento é de 9% em comparação ao último levantamento, quando foram identificados 1.776 pontos. Esse incremento não é visto de forma negativa, pois não representa, necessariamente, um aumento no número de pontos, mas um aprimoramento da metodologia que os detecta. “Este aumento é percebido de forma positiva pela PRF e parceiros, visto que este órgão tem investido, ao longo dos últimos anos, no treinamento dos policiais rodoviários. Pontos que antes não eram vistos como problemáticos, hoje têm sua vulnerabilidade detectada e medida, fruto de maior capacidade e refinamento por parte dos policiais na identificação desses locais" afirma Marcia Freitas Vieira, Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Policia Rodoviária Federal Além disso, segundo o relatório apresentado, houve uma substancial redução de pontos considerados críticos.

Para fins da pesquisa, o conceito de vulnerabilidade é entendido como ambientes ou estabelecimentos em que há adultos se prostituindo; falta de iluminação e ausência de vigilância privada, além de serem locais de parada costumeira de veículos e de consumo de bebida alcoólica. Os locais mais comuns são lanchonetes e postos de combustível. Eles são divididos em críticos (566), de alto risco (538), médio risco (555) e baixo risco (310). Em relação ao primeiro levantamento realizado, houve uma redução de 40% no número de pontos críticos.

As empresas do Programa Na Mão Certa

A Childhood Brasil, parceira da PRF na identificação dos pontos vulneráveis, entende que o levantamento é fundamental para subsidiar empresas, governos e organizações da sociedade civil sobre o problema que estamos enfrentando nas estradas, com o propósito de acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes. “A atuação em rede sistêmica será decisiva para alcançarmos nossos objetivos. É importante que as empresas usem o mapeamento para identificar as áreas de ação prioritárias para suas iniciativas de enfrentamento do problema”, diz a gerente executiva da Childhood Brasil, Renata Monteiro Pereira Renata ainda afirma que orientar o caminhoneiro a não parar nos locais considerados vulneráveis não é a solução pois isso não resolve o problema. Além do mais, os pontos mudam de lugar e somente uma ação sistêmica de proteção da infância e da adolescência, de denúncia constante e de fortalecimento do sistema de proteção podem enfrentar a questão da exploração nas rodovias. Leia a matéria O mapeamento dos pontos vulneráveis e as empresas do Programa.

Os estados com maior número de municípios com pontos críticos são Minas Gerais, Pará e Bahia. Esses estabelecimentos se encontram em 470 municípios, dos quais 90,43% têm Índice de Desenvolvimento Humano entre muito baixo e médio. Em relação às regiões, a Sudeste tem o maior número de zonas de vulnerabilidade – 494. Ela é seguida, na ordem, pelo Nordeste (475), Sul (448), Centro-Oeste (392) e Norte (160). A BR-116, que corta estados do Sudeste e do Nordeste, é a pista com o maior número de pontos – 243.

Acesse o relatório do Projeto Mapear 2013 | 2014

Fonte: Na Mão Certa / Childhood Brasil

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes