segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Defesa da democracia e emoção marcam lançamento do portal Memórias da Ditadura

Emoção e a defesa total do Estado Democrático de Direito. Foram esses os sentimentos que marcaram o lançamento do portal Memórias da Ditadura, ocorrido na manhã desta sexta-feira (5) no Edifício Sede do Ministério da Educação.

“É na democracia que avançamos”, resumiu no evento a ministra Ideli Salvatti, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR). “Ditadura alguma trouxe avanços para a população, seja no direito à participação política, no acesso à Educação, na Saúde ou em qualquer outra área. E a ditadura brasileira continua presente no sistema penitenciário, nas periferias, na vida dos jovens negros e nas palavras de quem defende Golpes de Estado e Regimes de Exceção.”

Em um momento de forte emoção, a ministra de Políticas para as Mulheres (SPM), Eleonora Menicucci, lembrou sua experiência pessoal como perseguida política da ditadura. “Nós que fomos torturados, que tivemos os corpos e a vida maculados, sabemos o que foi a ditadura” disse a ministra, comovida. “Eu fui brutalmente torturada e tive muita dificuldade por ter sobrevivido. Queria ter morrido. A dor física passa, mas a psíquica nunca nos deixa. Mas por isso nos força a lembrar. Hoje tenho a felicidade de ter sobrevivido para contar a história. Por isso o Portal é tão importante, para não esquecer nunca.”

Além de Ideli Salvatti e Eleonora Menicucci, participaram do evento o ministro da Educação, José Henrique Paim, e as ministras de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Helena de Bairros, e da Cultura, Ana Cristina Wanzeler, bem como o coordenador-residente do Sistema Nações Unidas no Brasil, Jorge Chediek.

Portal

Disponível no endereço eletrônico http://memoriasdaditadura.org.br, o portal é o maior repositório virtual de informações já produzido sobre a ditadura civil-militar (1964-1985) e foi pelo Instituto Vladimir Herzog em parceria com a SDH/PR e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Produzido em código aberto WordPress, o portal visa levar a história da Ditadura junto ao grande público, em especial a população jovem. Para tanto, apresenta informações sobre a Ditadura e os movimentos que resistiram a ela: documentários, livros, mapas, depoimentos e uma área de apoio a educadores, com planos de aula, material didático e sugestões diversas sobre o ensino do tema.

O portal comporta três sites interligados: o principal, um site de linha do tempo da ditadura e um site de mapas. Todos incluem conteúdos interativos e multimídia que podem ser acessados por computador, tablet ou celular – e foi construído segundo as normas da W3C, garantindo acessibilidade para pessoas com deficiência.

Produção

Com milhares de links, mais de um milhão de caracteres e mais de mil posts e depoimentos, o portal foi produzido equipe de vinte de profissionais da área de jornalismo, educação e comunicação, assim como consultores especialistas nas temáticas abordadas, que produziram os conteúdos das diferentes áreas do portal.

O lançamento do portal Memórias da Ditadura integra a Quinzena pelos Direitos Humanos, promovida pelaSDH/PR em reconhecimento ao Dia Internacional dos Direitos Humanos, celebrado em 10 de dezembro. Com eventos e agendas diárias, a quinzena – iniciada na segunda-feira, 1 de dezembro – se estenderá até o dia 17.


Fonte: Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República - SDH/PR

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes