segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Brasil, Chile, Estados Unidos e Paraguai debatem coordenação e cooperação para combate à exploração sexual

A coordenação intersetorial e cooperação entre os Estados para o combate à exploração sexual de crianças e adolescentes foi tema de mesa no 21º Congresso Pan-Americano da Criança e do Adolescente. O encontro reuniu painelistas do Brasil, Chile, Estados Unidos e Paraguai.

Estiveram presentes os assessores de projetos sociais do Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (SESI), Fernando Luz e Romerito Lima, que apresentaram o programa ViraVida. A iniciativa apoia meninos e meninas, com idade entre 14 e 24 anos, que sofreram violência sexual, por meio de cursos profissionalizantes e atendimento psicossocial. Fernando Luz chamou atenção para o aumento do número de denúncias de exploração sexual no Brasil nos últimos 10 anos. “É um número que vem crescendo, mas não necessariamente significa que o Brasil está mais violento ou que está explorando mais os jovens. Revela que o Brasil está mais intolerante a esse problema e, portanto, carente e demandante de mais políticas de proteção e atenção a esse público”.

Pamela Soto Cárdenas, do Serviço Nacional de Menores (SENAME) do Ministério da Justiça do Chile, delineou as ações do país no combate à exploração sexual de criança e adolescentes. O SENAME tem eixos de proteção e restituição de direitos, adoção, e justiça juvenil, e mantém uma coordenação intersetorial com organismos públicos, privados e internacionais.

Representando a Seção de Exploração de Crianças e Obscenidade do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a procuradora Herbrina Sanders explicou que a seção tem atenção especial para combater o turismo sexual infantil envolvendo cidadãos estadunidenses. “Se podemos evitar que nossos cidadãos façam mal a crianças de outros países, então é nossa responsabilidade fazê-lo”, disse Sanders. Ela destacou que os países devem manter contato constante e trocar informações para encontrar a melhor solução para responsabilizar os agressores sexuais, de acordo com a legislação de cada país.

Por último, Fatima Cabrera, da Secretaria Nacional da Infância e Adolescência do Paraguai, apresentou como exemplo de cooperação internacional no país o Plano Nacional de Prevenção e Erradicação da Exploração Sexual de Crianças e Adolescente, elaborado em parceria com o Instituto Interamericano da Criança e do Adolescente (IIN) e com apoio financeiro do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da União Europeia.


Fonte: Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República - SDH/PR

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes