terça-feira, 23 de julho de 2013

República Dominicana: desenvolvimento humano é seis vezes menor na fronteira com o Haiti

A província que possui o maior nível de desenvolvimento humano da República Dominicana é o Distrito Federal, resultado combinado dos melhores indicadores educativos, de saúde e renda, o que reflete a concentração das oportunidades na cidade capital. Em contraste, Elías Piña, que está localizada na fronteira com o Haiti, é a província com mais o mais baixo desenvolvimento humano do país, com um IDHp seis vezes menor que o do Distrito Nacional, reflexo das poucas oportunidades e do baixo nível de vida de sua população. Estes são os resultados do Mapa de Desenvolvimento Humano da República Dominicana, que caracteriza as 32 províncias do país segundo seu nível de desenvolvimento humano calculado a partir da nova metodologia aplicada desde 2010.

O Mapa é de responsabilidade da Oficina de desenvolvimento Humano do Programa das nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) na República Dominicana apresentado em junho. Além do Índice de Desenvolvimento Humano a nível provincial (IDHp), o Mapa apresenta uma aproximação ao Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado pela Desigualdade (IDHpA), assim como o cálculo do Índice de Desigualdade de Gênero (IDGp), que avalia as perdas ocasionadas pela desigualdade em termos de educação, saúde e nível de vida ao IDH e o impacto que possuem as disparidades de gênero sobre o desenvolvimento humano no país, respectivamente.

Para o cálculo destes índices foram utilizados indicadores provenientes de fontes nacionais com a data mais recente possível, para que seus resultados não sejam diretamente comparáveis com os que são publicados no Informe Mundial sobre Desenvolvimento Humano. Os resultados do Mapa de Desenvolvimento Humano evidenciaram diferenças significativas nas oportunidades da população que vive nas províncias da República Dominicana, reflexo das conquistas econômicas que a economia dominicana teve e que não se traduziram com a mesma intensidade em melhoras significativas na saúde, educação, e no nível de vida digno da população. Isto é especialmente importante para uma economia como a dominicana, que desafiou crises internas e externas, registrando grande dinamismo na atividade econômica nos últimos 12 anos, posicionando-se acima da média de crescimento econômico dos países da região da América Latina.

As províncias de baixo desenvolvimento humano possuem os piores indicadores nas três dimensões que avalia o índice de desenvolvimento Humano: vida longa e saudável, acesso à educação e nível de vida digno. Neste grupo se encontram além de Elías Piña, Pedernales, Independencia, Monte Plata y Bahoruco, que são também as que exibem maiores níveis de pobreza monetária.

Quatorze províncias possuem desenvolvimento humano médio-baixo entre as que se incluem Barahona, Santiago Rodriguez, Azua, El Seibo, San Juan, Duarte, Valverde, Monte Cristi, Espaillat, Peravia, Hato Mayor, San Cristóbal, La Romana e Dajabón.

Este grupo de províncias é muito heterogêneo, com províncias com alto nível renda (como La Romana), mas resultados baixos em termos de saúde e educação, e províncias que exibem níveis em educação e saúde, como Duarte, ainda que a renda seja baixa. Em doze províncias, incluindo Sánchez Ramírez, María Trinidad Sánchez, San José de Ocoa, La Vega, Samaná, Santo Domingo, La Altagracia, Hermanas Mirabal, Monseñor Nouel, San Pedro de Macorís, Santiago e Puerto Plata o desenvolvimento humano é médio-alto.


Fonte: Adital

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes