quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Pesquisa sobre exploração sexual chega aos palcos

TRAJETÓRIA X
17 e 18 de Maio - Brasília - Brasil


Um olhar sobre a violência e a exploração sexual de crianças e adolescentes chega aos palcos de Brasília. Inspirados pela pesquisa do Grupo Violes, formado por especialistas da UnB em temas ligados aos direitos humanos, estudantes de artes cênicas da universidade contam a história real de quatro jovens que tiveram suas vidas marcadas pela violência. A peça Trajetória X será encenada nos dias 17 e 18 de maio, como parte da programação do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (leia serviço abaixo).

A preparação para construir o espetáculo, dirigido pelo professor do Instituto de Artes (IdA), Fernando Villar, incluiu uma investigação profunda da vida dos personagens. “A pesquisa foi muito séria e os resultados muito fortes”, conta Villar. “Os adolescentes foram muito corajosos, porque se abriram para contar histórias tristes e horripilantes de suas vidas”, completa o diretor, que trabalhou com base nos depoimentos colhidos pelo grupo Violes.

Os atores – Ana Paula Monteiro, Júlia do Vale, Luara Learth, Pedro Lima e Rafael Tursi - não conheceram as personagens. Mas buscaram referências nos locais que marcaram as trajetórias dos meninos e meninas de rua. O grande desafio do elenco do grupo Chia, Lia! foi criar uma atmosfera de reflexão sem chocar o espectador. “Temos a esperança de que o trabalho provoque os espectadores e estimule as pessoas a tomarem atitudes para mudar a realidade”, diz Fernando.

O cenário é composto por cobertores como os que os meninos e meninas de rua usam para se aquecer. “É uma forma de remeter ao universo das crianças que se tornam invisíveis no dia-a-dia, debaixo desses cobertores”, comenta a assistente de direção da peça, Júlia do Vale. Para completar o contexto cênico, Trajetória X contará com projeções de fotos e manipulação de bonecos.

O diretor da peça acredita que a pesquisa do Violes tem a função de descortinar um problema social. E que o teatro é uma ferramenta para aproximar essa delicada questão do público. “A arte pode transformar a sociedade”, declara.

 
PESQUISA

O Grupo Violes identificou o contexto e o histórico de exploração de crianças e adolescentes em situação de rua na Rodoviária do Plano Piloto e no Setor Comercial Sul. Durante três meses, pesquisadores escolheram 10 adolescentes que aceitaram participar da pesquisa. Instituições de apoio a meninos e meninas de rua indicaram mais 12, formando um grupo de 22 adolescentes entre 16 e 18 anos.

A pesquisa partiu da história de vida desses meninos e meninas anônimos. “Focamos o contexto da família e das instituições sociais para entender o porquê de esses jovens estarem na rua”, explica Maria Lucia Leal, professora do Departamento de Serviço Social e coordenadora do projeto.

O trabalho apontou, por exemplo, que a exploração sexual de crianças e adolescentes é acompanhada por outras violações de direitos humanos, como a exploração do trabalho infantil e agressões. A pesquisa tem o objetivo de propor ao governo uma nova metodologia para intervir na realidade desses jovens. “O maior objetivo do projeto é lutar por uma política pública de atenção ao ser humano, em especial às crianças e adolescentes em situação de violação de direitos humanos”, diz Fábio Félix, coordenador executivo da pesquisa.

Fonte: UnB Agência

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes