quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Artistas brasileiros participam de campanha pela não violência contra a mulher

Os cantores Elba Ramalho, Martinho da Vila, Ana Carolina, Lenine, Alcione, Daniela Mercury e outros artistas estrelaram em clipe da campanha “Quem ama abraça”, para marcar os 30 anos do "Dia Internacional da Luta pela Não Violência contra as Mulheres", comemorado no dia 25 de novembro, e os 20 anos dos "16 Dias de Ativismo pelo fim da Violência Contra as Mulheres".

Capitais brasileiras como Porto Alegre, Belém, Natal, Rio de Janeiro e Vitória aderiram ao movimento, idealizado pela Rede de Desenvolvimento Humano e do Instituto Magna Mater.

O clipe – que também contou com a participação de Beth Carvalho, Carlinhos Brown, Chico César, Daniel, Daniel Boaventura, Ed Motta, Elisa Lucinda, João Gabriel, Jorge Vercillo, Luiz Melodia,  Margareth Menezes, Monique Kessous, Roberta Sá e Teresa Cristina – foi dirigido por Denise Saraceni e apresentado por Elisa Lucinda. A música foi composta por Gabriel Moura e Rogê, com direção de Guto Graça Mello.

Participe da campanha ‘Quem ama abraça’

Qualquer pessoa pode participar da campanha “Quem ama abraça”. Clique aqui para enviar uma foto.

Violência contra as mulheres

Segundo a pesquisa “Percepções sobre a Violência Doméstica contra a Mulher no Brasil”, organizada pelo Instituto Avon, 15% das mulheres agredidas no país apontam que são forçadas a fazer sexo com o companheiro e 38% dos homens também admitem que já agrediram fisicamente as mulheres. As causas mais comuns são o ciúme e o alcoolismo. No entanto, 12% confessam que já bateram nas companheiras sem motivo.

A pesquisa também perguntou porque essas mulheres não abandonam seus agressores e o resultado é preocupante: 25% das mulheres responderam que a falta de dinheiro para viver sem o companheiro é o principal motivo, em segundo lugar vem a preocupação com a criação dos filhos e, em terceiro, o medo de serem mortas pelos seus companheiros: 21% na região Centro-Oeste, 16% no Sul, 15% no Sudeste, e 13% no Nordeste.

Os dados sobre a violência sexual contra a mulher revelam aspectos cruéis. Pesquisa publicada este ano pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) do Estado do Rio de Janeiro, o “Dossiê Mulher 2011”, indica que, do total de 3.751 estupros praticados contra vítimas do sexo feminino, 53,5% referiam-se a “estupro de vulnerável” (vítimas eram meninas de até 14 anos de idade). Em 50,5% dos casos, as vítimas de estupro conheciam os acusados (companheiros, ex-companheiros, pais, padrastos, parentes e conhecidos); 29,7% tinham relação de parentesco com a vítima (pais, padrastos, parentes); 10% eram companheiros ou ex-companheiros.

A cada 2 minutos, cinco mulheres são agredidas violentamente no Brasil, segundo a pesquisa “Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado 2010”, organizada pela Fundação Perseu Abramo/SESC.

Segundo o estudo “Mapa da Violência no Brasil 2010” do Instituto Sangari, entre 1997 e 2007, 41.532 mulheres foram assassinadas. Isto significa 10 assassinatos por dia.


Fonte: Yahoo! Notícias

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes